"Na democracia, o processo de formação das políticas públicas demanda participação de todos os segmentos da sociedade civil, informação confiável, representação qualificada, transparência e ética."
 
  
Confederação Nacional do Petróleo,
Gás Natural, 
Biocombustíveis e Energias Renováveis
 
 A Serviço do Desenvolvimento do BRASIL 


Dr. Marcílio Novaes Maxxon  

 



     

 
 
 
 
 
Dr. MARCÍLIO NOVAES MAXXON
Fundador e Presidente Nacional
O LÍDER DO DESENVOLVIMENTO
"O combate à corrupção está intimamente vinculado à transparência". 

e-mail_servidores_01.gif 
 
CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO
http://www.unodc.org/pdf/brazil/ConvONUcorrup_port.pdf
 
[corr05_slogan_port.jpg] 

 

INTELIGÊNCIA POLÍTICA
“A Inteligência em defesa da sociedade , do estado democrático de direito e dos interesses nacionais “.
Compromisso com a TRANSPARÊNCIA CONPETRO

EXPLORAÇÃO NO PRÉ-SAL

Ao longo dos anos, produzimos petróleo em condições inéditas. O que se repete agora: o resultado de nossas pesquisas nos confere o pioneirismo na exploração e produção com o pré-sal.

Aqui você conhecerá um pouco mais sobre as fontes de energia atuais e as que pesquisamos para o futuro: do petróleo à célula de hidrogênio, passando pelo biodiesel e fontes alternativas de energia.

Você verá também nossos desafios tecnológicos: produção no pré-sal, recuperação de campos maduros, transporte, novos produtos, maior eficiência, sempre alinhados com a preocupação ambiental e o crescimento sustentável. Click abaixo e veja o nosso vídeo:

Tecnologia e Pesquisa

 
À CONPETRO - Confederação Nacional do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis, representa e congrega os setores da Indústria e do Comércio de Bens & Serviços da cadeia produtiva do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis do BRASIL. E está a Serviço do Desenvolvimento do BRASIL.
 
À CONPETRO, tem a função inédita de ser o instrumento de Mercado para impulsionar de forma segura e rentável o Desenvolvimento Econômico-Social, dando escala a diversas cadeias produtivas que interagem com a Indústria e o Comércio de Bens & Serviços da cadeia produtiva do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renóváveis do BRASIL.
 
"Fazer sempre, mais e melhor é a nossa missão. Criar, solucionar, empreender e liderar são as nossas ferramentas."
 
Capacidade de mudar, empreender, criar oportunidades de negócios, buscar soluções para cadeia produtiva em movimento do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis do BRASIL.
 
 
COMPETE A CONPETRO
 
formular propostas para a elaboração de planos plurianuais para os setores de petróleo, gás natural e combustíveis renováveis, monitorando, avaliando e ajustando sua execução e resultados;

- monitorar, avaliar e propor medidas preventivas e corretivas, visando garantir a adequada participação dos derivados de petróleo, do gás natural e dos combustíveis renováveis, na matriz energética nacional;

- monitorar e avaliar o funcionamento e desempenho dos setores de petróleo, gás natural e combustíveis renováveis, bem como das instituições responsáveis por estes setores, promovendo e propondo as revisões, atualizações e correções dos modelos em curso;
 
- interagir com as agências reguladoras, as entidades públicas vinculadas, as concessionárias públicas e privadas e demais entidades dos setores de petróleo, gás natural e biocombustíveis e energias renováveis, orientando quanto às políticas aprovadas, no âmbito dos Governos Municipais, Estaduais e Federal;

- monitorar e avaliar, em conjunto com as agências reguladoras e instituições competentes, as condições e a evolução dos abastecimentos de petróleo, gás natural e biocombustíveis e energias renováveis, bem como a satisfação dos consumidores;

- promover, desenvolver e executar ações e medidas preventivas e corretivas, visando garantir o satisfatório abastecimento de petróleo, gás natural e biocombustíveis e energias renováveis e o adequado atendimento aos consumidores;
 
- participar, coordenar e estimular atividades de pesquisa e desenvolvimento tecnológico, nos setores de petróleo, gás natural e biocombustíveis e energias renováveis;
 
- propor políticas públicas voltadas para a maior participação da indústria nacional de bens e serviços no setor de petróleo e gás natural,biocombustíveis e energias renováveis;
 
- atuar como facilitador na interação entre o setor produtivo e os órgãos de meio ambiente e políticas a serem implantadas;
 
- funcionar como núcleo de gerenciamento dos programas e projetos em sua área de competência; e
 
- promover, e desenvolver políticas e executar ações e medidas preventivas e corretivas, visando garantir o satisfatório abastecimento de petróleo, gás natural e biocombustíveis e energias renováveis e o adequado atendimento aos consumidores nacionais;
 
- estimular, coordenar e promover programas de incentivos e ações, visando à atração de investimentos e negócios para os setores nacionais de petróleo, gás natural e biocombustíveis e energias renováveis;
Decreto no 5.267-2004 - fls. 15
 
- Fortalecendo a capacidade industrial instalada, através da experiência na fabricação de produtos, fornecimento de insumos e na prestação de Bens e Serviços;
 

Municípios Brasileiros Produtores de Petróleo e a Distribuição dos Royalties

    

- À Conpetro é uma entidade de abrangência nacional, que é importante para fortalecer os Municípios brasileiros produtores de petróleo e outros bens minerais, que visa unificar as ações, em defesa das questões comuns de cidades que detêm bases de operação da Petrobras e outras. Neste contexto, a troca de experiência entre municípios receptores de royalties estimula a busca de melhorias para as cidades. A cadeia produtiva do petróleo traz os royalties, mas também ocasiona problemas sociais, muitos não atendidos pela verba repassada com a compensação financeira.

À CONPETRO visa atuar de forma firme e segura com responsabilidade social e ambiental, para defender a permanência dos royalties para os municípios produtores de petróleo, sem que haja perda da compensação financeira. E assim, ser atendida de forma justa a demanda social, dos serviços adequados às necessidades dos Municípios produtores, contribuindo assim para o desenvolvimento do Brasil.

Esse é o Caminho e a Política Certa, para que se Garanta o Desenvolvimento Acelerado, com Cidadania e Responsabilidade Social e Ambiental no BRASIL, e nos Países onde venha à atuar.

Royalties e participações especiais

Além dos impostos usuais, as empresas que produzem petróleo e gás natural pagam royalties a municípios, a estados e à União. No caso dos campos de grande produção e rentabilidade, pagam também participações especiais. Os concessionários de blocos terrestres pagam ainda uma participação ao proprietário da terra. A Lei no 9.478/97 define as alíquotas e o Decreto no 2.705/98 estabelece os critérios para cálculo e cobrança.

Cabem à ANP o cálculo e a distribuição desses valores, mas não o seu recolhimento nem o seu pagamento. Os valores dos royalties e participações especiais pagos a municípios e estados podem ser consultados em:


http://www.anp.gov.br/participacao_gov/index.asp
 
Legislação

Conheça leis, decretos, portarias e resoluções do setor de petróleo, gás e biocombustíveis. Estas são as principais normas do setor:

    Constituição da República Federativa do Brasil, artigo 177.
    Lei no 9.478/1997, que dispõe sobre a política energética nacional, as atividades relativas ao     monopólio do petróleo, cria o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e a ANP,
    Lei 9.847/1999, que dispõe sobre a fiscalização das atividades relativas ao abastecimento nacional     de combustíveis.
    Decreto no 2.455/ 1998, que implanta a ANP.
    Decreto no 2.705/ 1998, que define critérios para cálculo e cobrança de royalties e participações     especiais.
    Lei 11.097/ 2005, que introduziu o biodiesel na matriz energética nacional.
    Resoluções do CNPE.


http://www.anp.gov.br/leg/legislacao.asp

RECOMENDAÇÕES PARA POLÍTICAS PÚBLICAS DE TRANSPARÊNCIA 

Click Aqui:

Gestão de Recursos Federais - Manual para os Agentes Municipais
Este manual tem o objetivo de orientar os agentes municipais sobre os procedimentos necessários para a obtenção, a aplicação e o controle de recursos públicos federais. O manual adota termos claros e correntes de forma que o agente municipal execute os processos de solicitação e aplicação de recursos federais sem a intermediação de terceiros.

Notícias OnLine: http://www.cgu.gov.br/olhovivo/Noticias/index.asp



Relatório sobre renegociação das dívidas municipais.(download 1.337Kb - zip)

ATAS da Subcomissão Permanente - Assuntos Municipais - CAEAM
Realidades e Pespectivas das Cidades Brasileiras
 
Click aqui:
 
NOTAS
Click aqui:
 
RESULTADOS OBITIDOS
Click aqui:

OBJETIVOS DA CONPETRO

À CONPETRO, é uma organização não lucrativa, tendo sua ação voltada para o desenvolvimento técnico, científico e tecnólogico da cadeia produtiva do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis do BRASIL. Promovendo a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos da cadeia produtiva, assegurando a Qualidade e a Eficiência com bem estar social e ambiental para Sociedade.

Participando como membro efetivo de comissões e comitês públicos e privados que representem os interesses dos associados na Presidência da República, no Congresso Nacional, Câmara e Senado Federal, Ministérios e Agências reguladoras, Ministério Público Federal, promovendo o aperfeiçoamento profissional dos que trabalham no setor abrangido pela CONPETRO, zelando pelo respeito aos códigos de ética e conduta profissional da CONPETRO e da Alta Administração Federal.

NOSSA AÇÃO VISA:

Aumentar a participação da indústria nacional no setor de Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis;

Fortalecer a capacidade industrial instalada, através da experiência na fabricação de produtos, fornecimento de insumos e na prestação de Bens e Serviços;

Articulação entre Governo, Congresso Nacional, Universidades, Associações de Classe, Centros de Pesquisa e Empresas, visando a AÇÃO GOVERNAMENTAL e a Gestão Legislativa para o desenvolvimento tecnológico local de fornecedores de bens e serviços, adequado às necessidades das empresas do setor de Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis do País.

Dentro de sua ampla missão, a CONPETRO, contribui decisivamente para a melhoria da qualidade das empresas brasileiras e, conseqüentemente, para a melhoria da qualidade de vida do cidadão brasileiro. Neste momento de crise global, estamos imbuídos e engajados neste novo desafio de fomentar e facilitar que as empresas brasileiras desenvolvam uma nova cultura no modo de realizar negócios, gerar novos empregos e ativar a economia.

O Estado depende, como qualquer outra organização, da eficiência com que resolve os problemas a seu cargo.

 

Parte-se hoje da assunção de que a sociedade, origem e propulsora do poder, tem condições de resolver, ela própria, através de suas organizações não políticas, um grande número de problemas de forma mais eficiente e menos custosa.

 

Dessa forma, a partilha inteligente de funções, adequadamente conjugadas, é imprescindível à racionalidade pública, hoje, ainda, sacrificada por deformações históricas e burocráticas dessa natureza para o pleno atendimento dos interesses coletivos,onde o exercício da cidadania haverá de ser um elemento imprescindível para a orientação da ação pública.

Portanto,torna-se necessário e imprescindível atingirmos uma racionalidade satisfatória nesses prazos determinados de uma forma que não continuem à prejudicar o interesse coletivo e o desenvolvimento do País. E desta forma ‘celerizar' o crescimento com Responsabilidade Sócio-Econômica e Ambiental, buscamos assim, atender e corrigir, a essas necessidades do nosso Mercado.

Motivação

A indústria de petróleo e gás natural não depende apenas das empresas petrolíferas, vários outros segmentos industriais transitam nessa atividade como fornecedores de bens e serviços necessários às operações de descoberta de óleo no subsolo e principalmente à sua extração e processamento. Estas operações envolvem uma variedade de materiais, instrumentos, equipamentos e máquinas, totalizando cerca de 350 mil itens. Esse amplo mercado ganhou fôlego no Brasil com a quebra do monopólio estatal do petróleo em 1997, e como conseqüência a entrada de operadoras estrangeiras, o que aumentou os investimentos no setor. Atualmente atuam no Brasil 38 empresas petrolíferas, contando com a Petrobras, mas no Instituto Brasileiro de Petróleo – IBP estão cadastradas 174.

Estimativas de demanda por bens e serviços em toda a cadeia de petróleo e gás indicam compras da ordem de US$ 54 bilhões, somente da Petrobras nos próximos cinco anos.

Surge assim, um cenário promissor para a economia brasileira, apesar da crise global, que pode obter grandes benefícios com o aumento da participação de seus fornecedores locais nas compras de bens e serviços, além de permitir a redução das importações e atrair capital externo para as empresas, que terão que melhorar seu perfil tecnológico, estimulando desta forma a formação de novos recursos humanos.

Threat image
   
 
 
 
Aviso Institucional:
 
Não fazemos LOBBY ou TRÁFICO DE INFLUÊNCIA. Trabalhamos em defesa da Sociedade brasileira, com puro idealismo e vontade de servir ao interesse público e ao País e não ao interesse pessoal.
Viabilizamos novos negócios para as necessidades da cadeia produtiva do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis, dentro dos critérios institucionais de Mercado e da cadeia produtiva em movimento. Observando o interesse público:
Defendemos os legítimos interesses da Indústria e do Comércio de Bens e Serviços da cadeia produtiva do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis do BRASIL. Aqueles que visarem o interesse pessoal ou tentarem manipular visando o interesse fraudulento para com isso usufruir um possível benefício, serão de imediato e sumariamente denunciados institucionalmente junto aos Órgãos competentes, e emitiremos um "ALERTA DE MERCADO" sobre o fato ocorrido. Para que o Mercado fique em alerta e saiba da intenção dos mesmos. Os causadores de qualquer transtorno serão devidamente responsabilizados.
 
Responsabilidade: Priorizar políticas sócio-ambientais de desenvolvimento sustentável para o País, para que se tornem referências mundiais para o segmento do Petróleo, Gás Natural, Bio-Combustíveis e Energias Renováveis.
 
     
 
Por MARCÍLIO NOVAES MAXXON
 
 
VALORES & TRANSPARÊNCIA 
 
Ética e transparência são valores muito presentes na cultura organizacional, que afetam as decisões e o relacionamento da empresa com seus diversos públicos de interesse. A CONPETRO, como empresa que desenvolve um novo tipo de economia informacional, para o Mercado Produtivo e de Capitais,  elabora o seu Código de Ética e Conduta Profissional com a ampla participação dos seus colaboradores, em todos os níveis. Para que a empresa se desenvolva dentro de ambiente que venha a assegurar-lhe ampla divulgação das diretrizes e realizações a serem alcançadas pelo Sistema CONPETRO, e vá ao encontro dos seus objetivos de atuar de forma socialmente responsável e transparente, e aprimorar cada vez mais suas práticas de conduta institucional, em uma concorrência leal, pautada pelos mais elevados padrões de conduta e ética.
 
O processo de gestão responsável, considera que o ser humano é o que faz a diferença nas empresas, especialmente em um contexto no qual recursos tecnológicos e outros investimentos inovadores, em maior ou menor proporção, se equivalem. Por esse motivo, não se pode medir esforços para oferecer a seus colaboradores um ambiente de trabalho agradável e seguro. Somam-se a isso os investimentos em formação educacional e profissional, para capacitar a equipe em face dos desafios e do nível de qualidade exigido no mundo dos negócios que acompanham o Sistema Operacional da CONPETRO.
 

GOVERNO & SOCIEDADE

O relacionamento do Sistema CONPETRO, com órgãos fiscalizadores, regulamentadores e governamentais tem que pauta-se no respeito à legislação em vigor, na observância dos padrões de honestidade e integridade e no cumprimento das regulamentações nacionais, internacionais e específicas.
 
A CONPETRO - Confederação Nacional Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis, não adotará posturas de caráter político-partidário ou que preguem qualquer forma de discriminação ou comportamento anti-social ou anti-ético. Está, no entanto, aberta ao diálogo com políticos de diversas tendências, no sentido de promover a correta difusão de informações que contribuam para um entendimento mais claro do segmento que atua, ou seja do setor de Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis.
 
O nosso INIMIGO comum é a CORRUPÇÃO. O qual só será vencido com nosso compromisso comum com a Transparência, ÉTICA e Competência. Temos que ter AÇÃO Cidadã, porque a CORRUPÇÃO continua bloqueando o caminho para a Transparência e sobretudo a ética em nossas ações no dia-a-dia.
 
    
 
DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL DA CONPETRO
 
O Sistema de Liderança da CONPETRO, deve ser  um modelo integrado para atender às demandas da estratégia dos negócios da CONPETRO, no que se refere ao desenvolvimento de líderes. Destacam-se como seus principais objetivos:

.  Promover a constante disseminação dos valores e do conhecimento dentro do Sistema CONPETRO;

.  Desenvolver uma cultura voltada à gestão de pessoas aliada à excelência das operações e ao foco nos resultados;

.  Permitir o melhor uso do capital humano da CONPETRO;

.  Garantir o número necessário de pessoas com o perfil adequado para o plano de crescimento operacional do seu Sistema.
 
No cenário atual de competitividade, os líderes da CONPETRO devem empenhar-se em obter os melhores resultados, mas devem fazê-lo de modo que integrem as pessoas, motivem o trabalho em equipe, estimulem o crescimento contínuo de suas equipes e promovam a inovação como forma de garantir o futuro da organização.

Em razão disso, do líder Homem ou Mulher do Sistema CONPETRO, se exigem um conjunto de competências que permitam o aprimoramento de resultados e um estilo capaz de orientar pessoas e influenciar ambientes.
 
 
 
Com base nesse perfil, a CONPETRO pode estabelecer uma rota de evolução de carreira – denominada “Líder CONPETRO"  - que apontará marcos e desafios relevantes na evolução de líderes e aspectos a desenvolver em cada estágio dessa evolução, tanto para aprimorar-se na função atual quanto para preparar-se para uma nova oportunidade.

Na prática, o nosso sistema operacional assegura que, ocupando ou não funções de liderança, os funcionários saibam qual o caminho e quais atributos devem desenvolver para evoluir na CONPETRO. Essa transparência estimula e orienta a ascensão na carreira, tornando o sistema uma ferramenta de gestão não apenas de líderes, mas de pessoas.
 
Como definir uma instituição ou empresa democrática e descentralizada?
 
É aquela em que muitas pessoas têm liberdade para tomar decisões extremamente importantes para elas e para a empresa, em vez de apenas seguir ordens de cima para baixo. Empresas em que os chefes delegam cada vez mais responsabilidades a seus comandados, dando-lhes mais liberdade de AÇÃO, mais com a responsabilidade de cada um civil e criminalmente por sua ação. Para que se não ocorra o erro planejado, a corrupção ou a fraude.
 
Introdução

A ÉTICA é o ideal de conduta humana, desenvolvido em conjunto com o processo civilizacional, que orienta cada ser humano sobre o que é bom e correto e o que deveria assumir, orientando sua vida em relação a seus semelhantes, visando ao bem comum.

A ética de nossa sociedade e a ética empresarial são inseparáveis, algumas vezes indistinguíveis. Nossas preocupações diárias com a eficiência, competitividade e lucratividade não podem prescindir de um comportamento ético.

A ética no trabalho orienta não apenas o teor das decisões (o que devo fazer) como também o processo para a tomada de decisão (como devo fazer).

A adoção de princípios éticos e comportamentos reflete o tipo de organização da qual fazemos parte e o tipo de pessoa que somos. Nosso respeito pelas diferenças individuais e a preocupação crescente com a responsabilidade social, onde inserimos as questões de segurança, meio-ambiente e saúde no cotidiano da nossa gestão empresarial refletem as relações do Sistema CONPETRO com seus empregados e para com a sociedade.

Cada indivíduo tem o seu próprio padrão de valores. Por isso, torna-se imperativo que cada colaborador faça sua reflexão, de modo a compatibilizar seus valores individuais com os valores do Sistema CONPETRO, expressos nos Princípios Éticos.

Deve agir, em seu relacionamento com colegas de trabalho, clientes e sociedade, de acordo com o Código de Conduta Profissional, conjunto de comportamentos, fundamentados nos Princípios Éticos, a serem adotados por todos os colaboradores do Sistema CONPETRO, independentemente do cargo ou função que ocupem.

Em sua atuação, o colaborador deve levar em consideração, ainda, a legislação aplicável, os Códigos de Ética das categorias profissionais, o Código de Boas Práticas da CONPETRO, o Pacto Global que inserimos aqui os seus 10 princípios, e as normas internas do Sistema CONPETRO. Diante de situações não previstas, deve ser escolhida sempre a alternativa que gere maior retorno ou benefício para o Sistema CONPETRO e a sociedade.

Princípios Éticos e Código de Conduta Profissional compõem o Código de Ética do Sistema CONPETRO.
 
Objetivos do Código de Ética e Conduta Profissional

- Ser uma referência, formal e institucional, para a conduta pessoal e profissional de todos os colaboradores do Sistema CONPETRO, independentemente do cargo ou função que ocupem, de forma a tornar-se um padrão de relacionamento interno e com os seus públicos de interesse: empresas, entidades de classe, clientes, consultores, colaboradores, instituições, parceiros, fornecedores, prestadores de serviços, concorrentes, sociedade, governo e as comunidades onde atua.

- Viabilizar um comportamento ético pautado em valores incorporados por todos, por serem justos e pertinentes.

- Reduzir a subjetividade das interpretações pessoais sobre princípios morais e éticos.

- Fortalecer a imagem do Sistema CONPETRO e de seus colaboradores junto aos seus públicos de interesse.
 
What we do image  
Princípios Éticos e de Conduta Profissional do Sistema CONPETRO

- A honestidade, a dignidade, o respeito, a lealdade, o decoro, o zelo, a eficácia, a transparência e a consciência dos princípios éticos são os valores maiores que orientam a relação do Sistema CONPETRO com seus públicos de interesse.

- A atuação do Sistema CONPETRO busca atingir níveis crescentes de competitividade e rentabilidade, sem descuidar da responsabilidade social, que é traduzida pela valorização de seus colaboradores enquanto seres humanos, pela priorização às questões de saúde, segurança, preservação do meio-ambiente, e por sua contribuição ao desenvolvimento das regiões ou países em que atua.

- As informações veiculadas interna ou externamente pelo Sistema CONPETRO devem ser verdadeiras, visando a uma relação de respeito e transparência com seus públicos de interesse.

- O Sistema CONPETRO considera que a vida particular dos seus colaboradores é um assunto pessoal, desde que as atividades deles não prejudiquem a sua imagem ou os seus interesses.

- No Sistema CONPETRO, as decisões contemplam a justiça, a legalidade, a TRANSPARÊNCIA, a competência e a honestidade.

- O Sistema CONPETRO promove práticas de gestão que fortalecem a motivação, satisfação e comprometimento de seus colaboradores.

- O Sistema CONPETRO tem por prática entender que, quando ocorre, o erro deve ser utilizado como fonte de aprendizado, oportunizando a eliminação das causas e evitando sua repetição.
 

Código de Conduta Profissional

Este código de Conduta Profissional, é fundamentado nos princípios éticos do Sistema CONPETRO, e orienta a conduta pessoal e profissional de todos os seus colaboradores, independentemente de cargo ou função que ocupem, e regula seu relacionamento com colegas de trabalho, clientes e sociedade.
 
Relação no Trabalho
 
1 - No exercício do cargo ou função, os colaboradores do Sistema CONPETRO:

- Buscam o melhor resultado global para o Sistema CONPETRO, mantendo sempre uma atitude transparente, de respeito e colaboração com os colegas de trabalho, representantes dos seus colaboradores e os públicos de interesse.

- Exercem suas funções e autoridade, com espírito empreendedor e de superar desafios, visando aos interesses do Sistema CONPETRO, e de permanente combate a CORRUPÇÃO. 

- Não usam cargo, função, atividade, facilidades, posição e influência com o fim de obter qualquer favorecimento para si ou para outrem.

- Não criam dificuldades artificiais no exercício de seu cargo, função ou atribuição, com o objetivo de supervalorizar sua atuação profissional.

- Exercem suas atribuições com efetividade, eliminando situações que levem a erros ou a atrasos na prestação do serviço.
 
2 - No relacionamento com gerentes e colegas, os colaboradores do Sistema CONPETRO:
- Agem de forma cortês, com disponibilidade e atenção a todas as pessoas com que se relacionam, respeitando as diferenças individuais.
- Na sua vida profissional, agem sempre de forma leal com colegas ou gerentes e pessoas do seu convívio. 
- Reconhecem os méritos relativos aos trabalhos desenvolvidos por colegas ou gerentes.
- Não prejudicam a reputação de colegas ou gerentes por meio de julgamentos preconceituosos, falso testemunho, informações não fundamentadas ou qualquer outro subterfúgio, imputando-lhes qualquer forma de julgamento pessoal.
- Não buscam obter troca de favores que aparentem ou possam dar origem a qualquer tipo de compromisso ou obrigação pessoal. Tolerância zero, com esse tipo de comportamento.
- Estimulam a manifestação de idéias, quando alinhadas com os objetivos da empresa e do Sistema CONPETRO e discutidas em fóruns próprios, mesmo que representem mudança significativa no status quo.

3 - Em relação a preconceitos, os colaboradores do Sistema CONPETRO:
- Promovem o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
 
4 - Quanto às intimidações, os colaboradores do Sistema CONPETRO:
- Não as toleram, bem como não toleram ameaças ou assédios de qualquer tipo.
- Não se submetem a situações de assédio moral (entendido como o ato de desqualificar repetidamente, por meio de palavras, gestos ou atitudes, a auto-estima, a segurança ou a imagem do colaborador em função do vínculo hierárquico) e denunciam o assediador.
- Respeitam a hierarquia, porém informam imediatamente à gerência superior qualquer comportamento irregular, desde que devidamente fundamentado.
- Comunicam imediatamente aos seus superiores hierárquicos, para as providências cabíveis, qualquer aliciamento, ato ou omissão que julgam contrários ao interesse do Sistema CONPETRO. Não cedem a pressões que visem à obtenção de vantagens indevidas. E combatem a FRAUDE ou atitudes que a promovam de forma a imprimir-se a tolerância zero.

5 - Em relação a críticas, os colaboradores do Sistema CONPETRO:
- Consideram as críticas construtivas, feitas às claras e através dos canais adequados, como uma demonstração de lealdade ao Sistema CONPETRO e aos colegas.

6 - Quanto à tolerância ao erro, os colaboradores do Sistema CONPETRO:
- Aprendem com base nos seus próprios erros ou de outrem, eliminando suas causas e evitando sua repetição.
- Quando se consideram não capacitados para executar alguma tarefa, procuram os colegas, dirigentes, gerentes e supervisores a fim de obter os meios para superar essas limitações.
- Avaliam sistematicamente seus erros e acertos, com a participação da gerência e dos supervisores, visando melhorar continuamente a qualidade de seu trabalho.

7 - Quanto ao gerenciamento de desempenho:
- O Sistema CONPETRO garante a seus colaboradores o direito de conhecer os resultados da avaliação do seu desempenho. Para isso, adota um processo transparente de gerenciamento de desempenho, com orientação individual ao colaborador sobre assuntos que, direta ou indiretamente, afetem seu trabalho.
- O Sistema CONPETRO garante aos seus colaboradores o direito de conhecer os critérios de progressão funcional e a sua avaliação decorrente desses critérios.

- Respeitam a propriedade intelectual.
- Não alteram nem deturpam o teor de qualquer documento, informação ou dados.
- Promovem ações que possibilitam melhorar a comunicação interna.
- Não participam de sorteios promocionais externos feitos pelas empresas com vinculos ao Sistema CONPETRO.
- Enfatizam a integração e o desenvolvimento de trabalhos em equipe.
- Promovem o envolvimento de todos na realização dos objetivos estratégicos do Sistema CONPETRO.

 
8 - Quanto ao comprometimento das pessoas:
- O Sistema CONPETRO reconhece o esforço de seus colaboradores para melhorar o resultado do trabalho, praticando o elogio como forma de valorizar os seus desempenhos.

9 - Quanto a informações pessoais e funcionais:
- O Sistema CONPETRO garante que informações pessoais, inclusive médicas e sobre benefícios, são restritas ao próprio colaborador e ao pessoal responsável pela guarda, manutenção e tratamento dessas informações. As solicitações, análises e repasses dessas informações somente são feitas por quem tem a legitimidade para tanto, nos exatos termos da legislação e disposições normativas, bem como para fazer prova em juízo, de acordo com orientação da área jurídica.
- O Sistema CONPETRO garante ao seu colaborador acesso às suas informações funcionais.
- O Sistema CONPETRO deve ser permanentemente atualizada sobre dados pessoais de seus colaboradores.

10 - Quanto ao direito a esclarecimentos:
- O Sistema CONPETRO assegura a seus colaboradores o direito de solicitar e receber esclarecimentos sobre direitos e vantagens na Companhia.

 
11 - Quanto ao ambiente de trabalho:
- Os direitos individuais são legítimos e respeitados, e sempre compatibilizados com o bem-estar coletivo e a representatividade do Sistema CONPETRO.
- O Sistema CONPETRO garante a seus colaboradores um ambiente de trabalho adequado, visando à segurança, à higiene, à saúde e ao bem-estar.
- Os colaboradores do Sistema CONPETRO podem suspender a realização de atividades, após tomar as medidas corretivas, caso haja situações em que a vida e/ou integridade física sua e/ou de seus colegas de trabalho se encontre em risco grave e iminente, comunicando o fato imediatamente ao seu superior hierárquico.
- No exercício de suas atividades, os colaboradores do Sistema CONPETRO preservam o patrimônio das empresas traduzido em termos de equipamentos, materiais, informações tecnológicas e estratégicas e facilidades operacionais.

12 - Quanto à utilização do correio eletrônico, os empregados do Sistema CONPETRO:
- Utilizam o correio eletrônico para assuntos pertinentes ao seu trabalho, cuidando sempre da segurança da informação e não disseminam mensagens que possuem conteúdos ilegais, pornográficos, racistas e de cunho religioso ou político, e observam no combate permanente a FRAUDE.

13 - Quanto à aparência pessoal:
- O Sistema CONPETRO recomenda que os empregados procurem levar em conta o tipo de atividade que executam, o público com o qual entram em contato e os hábitos culturais e empresariais da região, estado ou país onde trabalham.
 
14 - Quanto ao nosso Sistema: 
O Sistema CONPETRO, tem a função inédita, como 'Líder Global' em seu segmento de ser um instrumento para impulsionar o nosso desenvolvimento dando escala, para também atingir outras cadeias produtivas através da da indústria Petrolífera. Buscando financiar o setor produtivo através de contratos mercantis via Mercado de Capitais, a custos internacionalmente competitivos, principalmente com FIDCs.
 
O Sistema CONPETRO, tem por dever Institucional defender a Democracia eo Estado de Direito Democrático, garantindo a Liberdade de Manifestação do Pensamento, da Criação, da expressão e da INFORMAÇÃO. Bens inalienáveis do Povo Brasileiro, conquistado em nossa Constituição de 1988. A todos os seus colaboradores são observados os preceitos Constitucionais:

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

CAPÍTULO V

DA COMUNICAÇÃO SOCIAL

Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§ 1º - Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.

§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.
 
Nos Dias de Hoje
 
No setor Público como Privado,   apresentam os dados referentes às despesas realizadas pelos órgãos e entidades da Administração Pública Federal com informações sobre execução orçamentária, licitações, contratos, convênios, diárias e passagens que ocorrerem em seus respectivos âmbitos. Dando a TRANSPARÊNCIA em suas ações administrativas, e isso hoje faz parte de Resolução das Nações Unidas, cuja qual o Brasil é signatário. Na Prevenção à Corrupção:
Além de ser responsável por fiscalizar e detectar fraudes em relação ao uso do dinheiro Público, como das organizações de direito privado,  também é responsável por desenvolver mecanismos de prevenção à corrupção, os quais devemos inserir em nosso contexto privado.  O objetivo é que os Gestores de uma Organização como a CONPETRO - Confederação Nacional do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis, não apenas detecte casos de corrupção, mas que, antecipando-se a eles, desenvolva meios para prevenir a sua ocorrência.  Esse novo modelo dotou o nosso Sistema dos instrumentos e da capacidade de utilizar técnicas inovadoras na prevenção da corrupção para os Setores Públicos e Privados. Além de promover a centralização e o fomento das ações preventivas, a nova estrutura tornou viável a organização de uma unidade de inteligência para ser inserida em diversas cadeias produtivas, nas empresas e instituições, colocando o Brasil em sintonia com os países que se encontram na vanguarda da prevenção à corrupção.
 
O fenômeno da corrupção não ocorre de forma isolada no Brasil, tampouco se constitui característica da cultura brasileira, mas se trata de mal que assola uma infinidade de sociedades. Sendo assim, é preciso ampliar e fortalecer as relações de cooperação com outros países e com organismos internacionais que possam contribuir, com suas experiências, técnicas e conhecimentos, para a prevenção e o combate à corrupção no Brasil nos setores públicos como privado.
 
São notórios os custos que a corrupção traz às sociedades, como a diminuição do crescimento econômico, obstrução do desenvolvimento, comprometimento da legitimidade política, enfraquecimento das instituições democráticas, dos valores morais e um descrédito nos serviços públicos, permitindo o avanço do crime organizado e o agravamento dos problemas sociais. A corrupção gera também a redução de investimentos públicos e privados, nacionais e internacionais, prejudicando o desenvolvimento industrial e o fornecimento de serviços públicos.
 
As principais convenções assinadas e ratificadas pelo Brasil são:
 
 
 
 
A efetiva aplicação dessas convenções constitui compromisso dos estados participantes. As convenções contra a corrupção da OCDE e da OEA estabelecem um processo de verificação de implementação, motivo pelo qual o Brasil deverá submeter-se periodicamente a avaliações:
Confira as avaliações do Brasil feitas até o momento:
Convenção da OEA:
Esse é hoje o papel fundamental do homem público como privado no mundo da TRANSPARÊNCIA, como gestor estatégico dentro de qualquer organização, seja ela pública ou privada. Como preconiza o artigo 37 da Constituição Federal, onde encontramos os princípios de excelência aos quais estão alicerçados os compromissos para uma política de gestão pública: "a gestão pública para ser excelente tem que ser legal, moral, impessoal, pública e eficiente" o setor privado do mesmo modo.
Portanto, a violação deste Código de Ética e Conduta Profissional terá a tolerância zero, e implicará em demissão sumária.
 

Devemos obedecer aos critérios do artigo 37 da Constituição Federal : que trata da impessoalidade, moralidade e publicidade.

 

No artigo 37 da Constituição Federal, encontramos os princípios de excelência aos quais estão alicerçados os compromissos para uma política de gestão pública que atinge também as nossas entidades sindicais: "a gestão pública para ser excelente tem que ser legal, moral, impessoal, pública e eficiente".

LEGALIDADE: estrita obediência à lei; nenhum resultado poderá ser considerado bom, nenhuma gestão poderá ser reconhecida como de excelência à revelia da lei.

MORALIDADE: pautar a gestão pública por um código moral. Não se trata de ética (no sentido de princípios individuais, de foro íntimo), mas de princípios morais de aceitação pública.
 
IMPESSOALIDADE: não fazer acepção de pessoas. O tratamento diferenciado restringe-se apenas aos casos previstos em lei. A cortesia, a rapidez no atendimento, a confiabilidade e o conforto são requisitos de um serviço público de qualidade e devem ser agregados a todos os usuários indistintamente. Em se tratando de organização pública, todos os seus usuários são preferenciais, são pessoas importantes.

PÚBLICA: ser transparente, dar publicidade aos dados e fatos. Essa é uma forma eficaz de indução do controle social.

EFICIÊNCIA: fazer o que precisa ser feito com o máximo de qualidade ao menor custo possível. Não se trata de redução de custo a qualquer custo, mas de buscar a melhor relação entre qualidade do serviço e qualidade do gasto. Essa é a receita dentro da norma CONSTITUCIONAL vigente.


 Abraço a todos,
 
 
 
                                 MARCÍLIO NOVAES MAXXON
                                 PRESIDENTE DO SISTEMA CONPETRO
 
 
Advocacia Geral da União - AGU/PR Agência Brasileira de Inteligência Banco Central do Brasil Comissão de Valores Mobiliários Controladoria Geral da União - CGU/PR Departamento da Polícia Federal - DPF/MJ MJ - Ministério da Justiça MPS - Ministério da Previdência Social MRE - Ministério das Relações Exteriores Procuradoria Geral da Fazenda Nacional Receita Federal SUSEP 

Por Marcílio Novaes Maxxon

"O combate à corrupção está intimamente vinculado à transparência". 

CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO
http://www.unodc.org/pdf/brazil/ConvONUcorrup_port.pdf



                                                AGIR CONTRA A CORRUPÇÃO

O combate à corrupção é uma preocupação global, porque a corrupção é encontrada em países ricos e pobres, e as evidências mostram que fere a sociedade de forma desproporcional. Ela contribui para a pobreza, a violência, a miseria ea prostituição de famílias, gera instabilidade e é um fator risco dominante em diversas sociedades, que está dirigindo países frágeis para à falência desses Estados.

Governos, o setor privado, organizações não-governamentais, meios de comunicação e cidadãos de todo o mundo estão unindo forças para combater esse crime. O Programa das Nações Unidas de Desenvolvimento (PNUD) e do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) estão à frente desses esforços.

A CONPETRO - Confederação Nacional do Petróleo, Gás Natural, Biocombústiveis e Energias Renováveis, de forma Colegiada e Institucional, colabora de forma efetiva e transparente para que em nosso segmento de Petróleo & Gás, a CORRUPÇÃO venha a ser detida, enfraquecida e banida, o problema é global, essa conjuntura de esforço internacional se concentra em como a corrupção prejudica os esforços para alcançar internacionalmente as instituições, enfraquece a democracia eo Estado de direito, conduz a violações de direitos humanos, distorce mercados, corrói a qualidade de vida e permite que o crime organizado, o terrorismo e outras ameaças à segurança humana venha a florescer e a se instalarem em nossas empresas e instituições.

Esperamos que você faça a diferença junto com a CONPETRO, o PNUD eo UNODC para agir contra a corrupção porque juntos podemos detê-la:

  • Organizar atividades em sua comunidade
  • Publicando a bandeira de nossa campanha em seu site
  • Usando o "agir contra a corrupção" como logo em publicações e eventos
  • Adicionando o seu logotipo para campanha em seu site ou folheto
  • Criando um link para este nosso site
  • Enviando uma mensagem para suas redes sobre a nossa AÇÃO CONTRA A CORRUPÇÃO
  • Fazendo uma página no Facebook
Lembre-se:
O CRIME NÃO COMPENSA
LUTE CONTRA A CORRUPÇÃO E A MENTIRA!

 
Parceiros BRASIL
 
Organismos Internacionais
Ações & documentos
Recursos & Links

LUTE CONTRA A CORRUPÇÃO E A MENTIRA!
[corr05_slogan_port.jpg] 

Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (GAFI/FATF)
O Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (GAFI/FATF) é uma organização intergovernamental cujo propósito é desenvolver e promover políticas nacionais e internacionais de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento ao terrorismo. Criado em 1989, o GAFI é um organismo elaborador de políticas que atua visando a gerar a vontade política necessária para realizar reformas legislativas e regulatórias nessas áreas. Para cumprir este objetivo, o GAFI publicou as 40+9 recomendações.
Grupo de Ação Financeira da América do Sul contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (GAFISUD)
Criado em 2000, o Grupo de Ação Financeira da América do Sul contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (GAFISUD) é um órgão regional no estilo do GAFI/FATF que atua na América do Sul. É composto por 10 países-membros, 5 países-associados e diversas organizações observadoras. Seu propósito é estimular seus membros a combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo na região, por meio do compromisso de melhorar permanentemente as políticas nacionais e os mecanismos de cooperação internacional dos países da América do Sul.
Grupo de Ação Financeira do Caribe contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (GAFIC/CFATF)
O Grupo de Ação Financeiro do Caribe contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (GAFIC/CFATF), fundado em 1992, é uma organização composta por 30 países da América Central e região do Caribe que concordaram em implementar contramedidas comuns para lidar com o problema da lavagem de dinheiro e do financiamento do terrorismo.
Grupo de Ação Financeira da Ásia e do Pacífico contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (APG)
Criado em 1997, o Grupo de Ação Financeira da Ásia e do Pacífico contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (APG) é o órgão no estilo do GAFI/FATF daquela região. Seu propósito é facilitar a adoção, a implementação e a execução efetiva de padrões aceitos internacionalmente no combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo e, em particular, a observância das 40+9 Recomendações do GAFI/FATF.
Comitê contra a Lavagem de Dinheiro, Recursos Ilícitos e o Financiamento do Terrorismo (MONEYVAL)
O Comitê de Peritos para a Avaliação de Medidas Anti-Lavagem de Dinheiro (antigamente, PC-R-EV) foi fundado em 1997. O processo de avaliação serve para verificar as medidas contra lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo nos Estados-membros do Conselho Europeu (e nos países candidatos a este Conselho que se dispõem a participar dos termos de referência) que não fazem parte do GAFI/FATF, em sua grande maioria os países do leste europeu. O objetivo do MONEYVAL é assegurar que os Estados disponham de sistemas eficientes de combate a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo e cumpram com os padrões internacionais relevantes nestas áreas.
Grupo de Combate à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo da Eurásia (EAG)
O Grupo de Combate à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo da Eurásia (EAG) é um órgão regional no estilo do GAFI/FATF para a região do extremo leste da Europa e Ásia Central. As atividades do EAG são direcionadas para: 1) a criação de um sistema legal e institucional antilavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo nos países-membros, seguindo as exigências do GAFI/FATF; 2) um estudo mais aprofundado de tipologias contra lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo, levando-se em conta as peculiaridades da região; 3) a implementação de programas de assistência técnica envolvendo a criação de UIFs e treinamento de funcionários, com o envolvimento da organização autônoma sem fins lucrativos “Centro de Metodologia e Treinamento Internacional para Monitoramento Financeiro”, criado em dezembro de 2005 graças à decisão do governo da Federação Russa.
Grupo Anti-Lavagem de Dinheiro do Leste e do Sul da África (ESAAMLG)
O Grupo Anti-Lavagem de Dinheiro do Leste e do Sul da África (ESAAMLG) é um organismo regional composto por quatorze países da região leste à porção mais ao Sul da África, sendo ainda que dois países-membros localizam-se no oceano Índico. Com uma região tão diversa, a comunicação fica extremamente difícil, apesar de ser muito necessária a implementação das medidas de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo nessa porção do continente africano.
Grupo de Ação Financeira do Norte da África e Oriente Médio contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (MENAFATF)
Criado em 2004, o Grupo de Ação Financeira do Norte da África e Oriente Médio contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (MENAFATF) é um órgão voluntário e cooperativo estabelecido pelo acordo entre seus membros, que não se origina de um tratado internacional. O MENAFATF é independente de qualquer outro organismo ou organização internacional e define seu próprio trabalho, normas e procedimentos, o que será determinado por consenso entre seus membros e coopera com outros organismos internacionais, especialmente com o GAFI/FATF, para alcançar seus objetivos.
Rede de Informação Internacional sobre Lavagem de Dinheiro (IMoLIN)
A IMoLIN é uma rede virtual que auxilia governos, organizações e indivíduos no na luta contra a lavagem de dinheiro. Este grupo tem se desenvolvido graças à cooperação das principais organizações de combate à lavagem de dinheiro do mundo. Nesta website está incluída uma base de dados sobre legislações e normas por todo mundo, uma biblioteca eletrônica e um calendário de eventos no combate à lavagem de dinheiro. Alguns aspectos da IMoLIN são confidenciais e, portanto, não estão disponíveis ao público.
Grupo de Egmont
Em reconhecimento aos benefícios adquiridos com o desenvolvimento da rede de unidades de inteligência financeira (FIUs, na sigla em inglês), um grupo de UIFs (na sigla em português) se reuniu em 1995 no Palácio de Egmont Arenberg em Bruxelas, Bélgica, e decidiu formar um grupo informal visando a estimular a cooperação internacional. Hoje conhecido como “Grupo de Egmont”, esse organismo reúne estas UIFs que se encontram regularmente para buscar formas de cooperar entre si, especialmente nas áreas de intercâmbio de informações, treinamento e troca de experiências. Atualmente, há 105 países com unidades de inteligência financeira (UIFs) reconhecidas pelo Grupo de Egmont e em operação, além de várias outras em fase de implantação.
Interpol
A Interpol é a maior organização policial do mundo, com 186 países-membros. Criada em 1923, ela facilita a cooperação policial transfronteiriça, apóia e auxilia todas as organizações, autoridades e serviços cuja missão seja prevenir ou combater o crime internacional. A Interpol visa a possibilitar a cooperação internacional mesmo entre países sem relações diplomáticas. As ações tomadas obedecem às leis dos diferentes países em que atua e estão em sintonia com a Declaração Universal do Direito Humanos. Vale ressaltar que a constituição da Interpol proíbe qualquer intervenção ou atividade de caráter político, militar, religioso ou racial.
Comissão Interamericana contra o Abuso de Drogas (CICAD/OEA)
A missão central da CICAD/OEA é fortalecer as capacidades humanas e institucionais, bem como controlar a energia coletiva de seus estados membros para reduzir a produção, o tráfico, o uso e o abuso de drogas nas Américas.
Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crimes (UNODC)
O Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crimes (UNODC) é o líder global na luta contra drogas ilícitas e criminalidade internacional. Estabelecido em 1997, o UNODC dispõe de uma equipe com aproximadamente 500 membros em todo o mundo. Sua sede localiza-se em Viena, sendo 21 escritórios locais espalhados pelo mundo e um escritório de coordenação em Nova York. Cerca de 90% do orçamento do UNODC depende de contribuições voluntárias, principalmente de governos.
Banco Mundial
O Banco Mundial é uma fonte vital de assistência técnica e financeira para desenvolver países ao redor do mundo. Não é apenas um banco no sentido comum da palavra. É constituído de duas instituições de desenvolvimento únicas, presentes em 185 países-membros: o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (IBRD) e a Associação Internacional para Desenvolvimento (IDA). Cada uma destas duas instituições exerce um papel de apoio diferente na missão do Banco Mundial de redução da pobreza global e melhoria da qualidade de vida. O IBRD concentra seu trabalho em países pobres de renda média aptos a receber crédito, enquanto que a IDA foca seus esforços nos países mais pobres do mundo. Além disso, o Banco Mundial concede empréstimos financeiros com taxas de juros baixas e crédito sem juros a países em desenvolvimento para investimentos em educação, saúde, infraestrutura, transportes e em outras áreas.
Fundo Monetário Internacional (FMI)
O FMI é uma organização de 185 membros cujos objetivos são: fomentar a cooperação monetária global, garantir a estabilidade financeira, possibilitar o comércio internacional, promover altas taxas de emprego e crescimento econômico sustentável e reduzir a pobreza.
Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)
O BID é uma iniciativa de longa duração dos países latino americanos, criado em 1959 como uma instituição de desenvolvimento com ferramentas e mandatos inovadores. Seus programas de cooperação técnica e empréstimo para projetos de desenvolvimento sócio-econômico foram muito além de um mero financiamento de projetos econômicos de costume na época em que surgiu.
Banco para Compensações Internacionais (BIS) – Comitê de Basiléia sobre Supervisão Bancária
O Comitê de Basiléia sobre Supervisão Bancária (BCBS) promove um fórum para cooperação regular de assuntos ligados à supervisão bancária. Seu objetivo é elevar o entendimento das principais questões de supervisão e melhorar a qualidade da supervisão bancária em todo o mundo. O Comitê busca agir desta forma por meio do intercâmbio de informações sobre questões de supervisão nacionais, critérios e técnicas, com o intuito de alcançar um entendimento comum. Ocasionalmente, o Comitê usa este entendimento comum para desenvolver diretrizes e padrões de supervisão em áreas consideradas desejáveis. Neste sentido, o Comitê é mais conhecido por suas normas internacionais para a adequação de capital; os Princípios Básicos para uma Supervisão Bancária Eficaz e o Acordo sobre a Supervisão Bancária Transfronteiriça
Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO)
A Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO) foi criada para permitir que seus membros, por meio de suas estruturas permanentes, i) cooperem para promover altos níveis de regulamentação, a fim de manter mercados imparciais, honestos e organizados, ii) troquem informações sobre suas respectivas experiências para estimular o desenvolvimento dos mercados internos, iii) unam esforços para estabelecer padrões e uma fiscalização eficaz das transações internacionais de ativos, e iv) forneçam assistência mútua para fomentar a integração dos mercados com aplicação rigorosa de normas e execução eficiente da lei contra delitos.
Associação Internacional de Supervisores de Seguros (IAIS)
Fundada em 1994, a IAIS representa os reguladores e os supervisores de seguros de cerca de 180 jurisdições em mais de 130 países, constituindo 97% dos pagamentos de seguros do mundo, além de contar com mais de 100 observadores. Os objetivos da IAIS são: i) cooperar para a contribuição de uma melhor supervisão da indústria do seguro em um nível nacional e internacional a fim de manter os mercados de seguros eficientes, honestos, seguros e estáveis em prol da proteção dos assegurados, ii) promover o desenvolvimento de mercados de seguros bem vistos, e iii) contribuir para a estabilidade financeira global.
Grupo de Wolfsberg
O Grupo de Wolfsberg é uma associação composta pelos 12 principais bancos multinacionais e tem o objetivo de desenvolver padrões e produtos para a indústria financeira, principalmente no que diz respeito a políticas de “conheça seu cliente” e de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo. Em 2006, o Grupo de Wolfsberg elaborou um manual de análise e avaliação de riscos para auxiliar na prevenção da lavagem de dinheiro e do financiamento do terrorismo.
Transparência Internacional
A Transparência Internacional, um organismo internacional que representa a sociedade civil na luta contra a corrupção, tem a missão de reunir todas as pessoas, entidades e governos com vistas a diminuir ou eliminar o impacto desse crime no mundo.
 
Otan 
  • Ir a Centro Criptológico Nacional (CCN). Se abre en una ventana nueva. Centro Criptológico Nacional (CCN)
  • Ir a Organización del Tratado del Atlántico Norte (OTAN). Se abre en una ventana nueva. Organización del Tratado del Atlántico Norte (OTAN)
  • Ir a Unión Europea. Se abre en una ventana nueva. Unión Europea
  • Ir a Central Intelligence Agency (CIA). Se abre en una ventana nueva. Central Intelligence Agency (CIA)
  • Ir a Security Service (MI-5). Se abre en una ventana nueva. Security Service (MI-5)
  • Ir a Secret Intelligence Service (MI-6). Se abre en una ventana nueva. Secret Intelligence Service (MI-6) 


     

    International Organizations
    International Anti-Corruption Day (Website) 

    GAFI / FATF organismos regionais do tipo


    EAG - Eurasian Group (fsrB)

    ESAAMLG - Oriental e do Sul Africano Grupo Anti Lavagem de Dinheiro (fsrB)

    FATF - Financial Action Task Force

    GAFISUD - Grupo de Acción Financiera de Sudamérica (fsrB)

    GIABA - Groupe Inter-Gouvernemental d'Action Contre le de l'Argent Blanchiment en Afrique (fsrB)

    MENAFATF - Oriente Médio e Norte da África de Ação Financeira Task Force (fsrB)

    MONEYVAL - Conselho da Europa, o Comité de Peritos sobre a avaliação das medidas de LMA e FT

    Organizações Regionais


    ADB / OECD Iniciativa Anti-Corrupção para a Ásia-Pacífico

    APEC - Asia-Pacific Economic Cooperation

    ARF - Fórum Regional da ASEAN

    ASEAN - Associação das Nações do Sudeste Asiático (Secretariado)

    OCO - Oceania Organização Mundial das Alfândegas (Secretariado)

    PFTAC - Financeira do Pacífico Centro de Assistência Técnica

    PIFS - Ilhas do Pacífico Secretariado do Fórum

    SAARC - Associação Sul-Asiática para a Cooperação Regional

    SEACEN - Sudeste da Ásia Central Research Bancos e Centro de Formação

    Organizações Internacionais


    Secretariado da Commonwealth

    Grupo Egmont de Unidades de Inteligência Financeira

    União Europeia

    G20

    G8

    GIFCS - Grupo de International Finance Centre Supervisores [ex-] OGBS

    IAIS - Associação Internacional de Supervisores de Seguros

    FMI - Fundo Monetário Internacional

    Interpol

    IOSCO - A Organização Internacional das Comissões de Valores

    OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico

    ONU - Organização das Nações Unidas

    Das Nações Unidas Contra-Terrorismo Comitê

    Lista das Nações Unidas - Resoluções 1267 e 1989 sobre Al-Qaeda e Entidades Associadas

    Segurança das Nações Unidas Resolução 1267 do Conselho Comitê

    ONU Tratados - Status Ratificação

    UNODC - Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime

    UNODC-GPML - Programa Global contra a Lavagem de Dinheiro

    WCO - World Customs Organization (Inglês)

    Banco mundial

    Banco Mundial - AML / CFT

    OMC - Organização Mundial do Comércio

    FATF/ FATF-Style Regional Bodies

    CFATF - Caribbean Financial Action Task Force (FSRB)

    EAG - Eurasian Group (FSRB)

    ESAAMLG - Eastern and South African Anti Money Laundering Group (FSRB)

    FATF - Financial Action Task Force

    GAFISUD - Grupo de Acción Financiera de Sudamérica (FSRB)

    GIABA - Groupe Inter-Gouvernemental d’Action Contre le Blanchiment de l'Argent en Afrique (FSRB)

    MENAFATF - Middle East and North Africa Financial Action Task Force (FSRB)

    MONEYVAL - Council of Europe, Committee of Experts on the Evaluation of AML Measures and FT

    Regional Organisations

    ADB - Asian Development Bank

    ADB/OECD Anti-Corruption Initiative for Asia-Pacific

    APEC - Asia-Pacific Economic Cooperation

    ARF - ASEAN Regional Forum

    ASEAN - Association of South East Asian Nations (Secretariat)

    OCO - Oceania Customs Organisation (Secretariat)

    PFTAC - Pacific Financial Technical Assistance Centre

    PIFS - Pacific Islands Forum Secretariat

    SAARC - South Asian Association for Regional Cooperation

    SEACEN - South East Asian Central Banks Research and Training Centre

    International Organisations

    Basel Committee on Banking Supervision

    Commonwealth Secretariat

    Egmont Group of Financial Intelligence Units

    European Union

    G20

    G8

    GIFCS - Group of International Finance Centre Supervisors [formerly OGBS]

    IAIS - International Association of Insurance Supervisors

    IMF - International Monetary Fund

    Interpol

    IOSCO - The International Organization of Securities Commissions

    OECD - Organisation for Economic Cooperation and Development

    UN - United Nations

    UN Counter-Terrorism Committee

    UN List - Resolutions 1267 and 1989 regarding Al-Qaida and Associated Entities

    UN Security Council Resolution 1267 Committee

    UN Treaties - Ratification Status

    UNODC - United Nations Office on Drugs and Crime

    UNODC-GPML - Global Programme on Money Laundering

    WCO - World Customs Organization (English)

    World Bank

    World Bank - AML/CFT

    WTO - World Trade Organization

    COMBATE AO CRIME ORGANIZADO
















    United Nations-Security Council Resolutions

    International Organizations
    World Bank
    International Monetary Fund
    United Nations
    Financial Action Task Force (FATF)
    EGMONT GROUP Of Financial Intelligenc Units
    United Nations Office on Drugs & Crime – Global Programme Against Money Laundering
    Gulf Cooperation Council For The Arab States (GCC)

    Government Agencies
    Special Investigation Commission, Lebanon
    Egyptian Money Laundering Combating Unit, Egypt
    Financial Information Unit, Qatar
    Anti Money Laundering Unit (AMLU), Bahrain
    Anti Money Laundering Unit (AMLU), Jordan
    Cellule du Traitement du Renseignement Financier(CTRF), Algeria FIU
    Saudi Arabia Financial Investigation Unit (SAFIU)

    FATF Style Regional Bodies (FSRBs)
    Caribbean Financial Action Task Force (CFATF)
    Eurasian Group (EAG)
    Eastern and South Africa Anti Money Laundering Group (ESAAMLG)
    Grupo de Acción Financiera de Sudamérica (GAFISUD)
    Council of Europe, Select Committee of Experts on the Evaluation of AML (MONEYVAL)
    Asia/Pacific Group on Money Laundering (APG)
    Intergovernmental Action Group against Money-Laundering in Africa (GIABA)

    Links Relacionados

    Organizações internacionais
    Unidades de Inteligência Financeira sobre os Web
    Links úteis

    Organizações Internacionais

    Unidades de Inteligência Financeira na Web

    Links Úteis

  •  


     Confederação Nacional do Petróleo, Gás Natural,
     Biocombustíveis e Energias Renováveis

    A Serviço do Desenvolvimento do BRASIL 

    A CONPETRO, representa e congrega os setores da Indústria e do Comércio de Bens & Serviços da cadeia produtiva do Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis do BRASIL. 

    "Ética, transparência e respeito são a base da nossa relação com à sociedade".

    Contato com a CONPETRO



    SP: (11) 9 - 8506.7021 - BSB: (61) 8142.3704 - Rio: (21) 7967.7210
    End. Rua Canadá, 390 - Jardim Europa - São Paulo - SP, CEP 01436-000

    E-Mail: Conpetro@uol.com.br, Presidencia@conpetro.com.br
                Consultoria@conpetro.com.br, ConfederacaodoPetroleo@conpetro.com.br, 

    Gas Data Transparency Conference, 26th October 2010, Moscow Gas Conference transparência de dados, 26 de outubro de 2010, Moscovo

             

     
      Site Map